segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Palavra que trazem poesias.

É no andar da carruagem que se escreve
compondo os elementos, lugares, ambientes,
aromas, som, cores...
As pessoas que habitam esses espaços, elas são
por muitas vezes irreais, apenas fruto do imaginário
de uma louca viajante.

Mas aqui, importa a palavra.
Ela conduz todo o enredo,
transporta sentimentos, ações boas ou más,
atraí gostos e desgostos, sabores, olhares...
A condutora, é apenas o meio que transporta
tudo isso e não apenas isso.

Inspirada em palavras, ou até mesmo num simples visual
insignificante,ou cheio de signicados.
É daí, dali ou daqui que elas chegam...
As vezes vem rápido, sufocando...
Outras vezes vem lentamente, como uma noiva ao altar.
Hora o que importa? Basta que me venhas.

E que nessa chegada me provoque
indignações, raiva, desejos...
Que não me contenha o ímpeto de jorra-las,
seja onde for, mas bom seria se fosse sempre
num sólido ambiente, que sempre frutificasse,
saciando a fome e a sede de belas palavras.

cida, 14/12/2015.



Nenhum comentário:

Postar um comentário