domingo, 13 de dezembro de 2015

Ideias.

No despertar das ideias é que as coisas nascem, criam vidas, existem.
Eras apenas alguma coisa morta, sem vida
Mas inspirou-me ideias
agora existe.

Surgiu nesse campo, sei lá de que jeito,
Inexplicável  fruto dessa terra sem lei.
Agora és prisioneiro
nessa cela sem tramelas.

Não sintas solidão
Pois está em meio a multidão
Invisíveis aos olhos nus
E reluzente a pouca gente.

Somos poucos, loucos,
Onde se cria e recria
De forma uniforme
Com padrões todos ditados.

Ora essa! Oras bolas!
Que se dane toda essa coisa
Me deixes livres nesse avesso,
não se incomode com meus tropeços.

(Cida)



Nenhum comentário:

Postar um comentário