terça-feira, 22 de julho de 2014

TODA PORTA FECHADA EM ALGUM LUGAR SE DESTRANCA

Nem tenho ponto de apoio
Mas quero ser alavanca
O peso é maior que eu
Estou cansada, para ser franca

Nem é o peso que embarreira
O peso só atravanca
Quando tudo na vida me pesa
Impossível ficar na retranca

Vida, estou fustigada
Pare ou te jogo a tamanca
Isso não se faz, me escute!
Não me olhe com essa carranca!

Ela , mais poderosa, nem liga
Estico a bandeira branca
Só mais uma tentativa
Na arte de saltimbanca

Não sou forte, destemida
Não faço o tipo potranca
Mas toda porta fechada
Em algum lugar se destranca

Fico em pé e reajo
Mesmo quando a vida me espanca
Sobrevivo pelo que aprendo
Não na falta do que ela me arranca

Mônica Raouf El Bayeh

Nenhum comentário:

Postar um comentário