quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

O destino da rolha.

  • O trajeto da rolha.
    Não existe uma ocasião mais propícia ao estouro de um champanhe do que um enlace matrimonial. 
    E o casamento de Camila e Rafael não fugiu a esse momento mágico. O casal se posiciona atrás da mesa de guloseimas. A noiva pega a garrafa e passa a missão ao noivo, que decididamente num clima todo delicado e romântico começa a romper o lacre que envolve a rolha da garrafa. E assim, segundos depois se ouve um... BUMMMM. A cena romântica da espaço à risos e olhares do tipo: O que será isso? Um tiro! Um acidente?... De onde vem, ou melhor, para onde foi? E enquanto as taças se tocavam e cruzavam-se os goles, eis que a vítima se manifesta... La estava a menina num delirante sentimento de sorte, dor ou simplesmente num hilariante e surpreendente sorriso, pois entre mais de cem pessoas presentes naquele aconchegante ambiente, foi ela a escolhida, digo a rolhada escolhida, rsrs. Foi nos braços daquela morena sorridente que ela resolveu cair. E caiu com vontade mesmo, e foi uma acolhida perfeita de quem já esperava por esse encontro a vida toda. Sim, provavelmente jamais haverá outro igual ou semelhante a esse na vida daquela menina.  Felizmente esse episódio foi muito bem vindo e só deu lugar aos risos e fotos por parte da ESCOLHIDA e seguido pelos que presenciaram essa trajetória fascinante de uma rolha  que sabia o que queria e partiu na certeza de ser bem vinda. E como diz as bocas malditas, toda rolha também deve saber o pau que se encosta. O que seria para Ela o fim de carreira, agora certamente da lugar a algum objeto de decoração e aqui também fica imortalizada nessas poucas linhas grafadas e dispostas ao mundo. Feliz destino de uma rolha, não?

    (CIDA)

Um comentário: