domingo, 29 de dezembro de 2013

Pensamentos na bagagem

 Um amigo de viagem.
 Observo, lá se vai ele,num voo livre que nitiamente transparece a felicidade,em matas verdes vai  adentrando-se encantando toda a região com seu cantar alegre e autêntico que o faz único e necessário não apenas nesse imenso lugar.
Perfeito! Vai leve, sobrevoando esse cenário místico sulmatrogrossense, onde abriga-se milhares de espécies tão encantadoras como tú, de atmosfera verdejante como o reflexo de sua seiva.Lugar de infinitas formas e tons esculpidos pelo  grande artista, reconhecido pela sua inigualável perfeição.Ele cria e recria cada Espécie numa heterogeneidade fantástica. Em cada árvore,cada galho,cada folha que vejo, sinto aumentar ainda mais a energia que provavelmente agora transparece e reluz em meus olhos atentos no balanço do automóvel. Faz tanto barulho aqui dentro da caixola que mal posso me aguentar.
vamos, seguimos juntos, misturados nos "nossos barulhos".
O caminho ainda é longo, mas o seu cantar o faz diminuir e suavizar a distância nessa rodovia tanta beleza reflete paradoxalmente às pequenas eroções  nos entornos da BR . Algumas árvores sem vida tombadas ao chão, gados pelos campos à pastar, borboletas sobrevoam e o vento em seu suave balanço remexe tudo por aqui. De repente uma cena triste é percorrida, um automóvel todo descontorcido à margem dessa pista fria e aquecida pelo sol escaldante das exatas onze horas.
Nesse momento te perdi de vista, não o vejo e não o ouço mais meu amigo, certamente segue seu destino de pássro cantante, assim como sigo o meu de viajante escrevente que em poucas linhas espera expor um pouco de muitas vidas esquecidas que muito fazem pela vida pública de pessoas famosas,simples ou anônimas.

                      
                               <Cida>


Nenhum comentário:

Postar um comentário