terça-feira, 7 de agosto de 2012

    By, by saudade!
Ela chegou, entrou sem pedir licença,
Se instalou e tomou conta de todo o espaço,
Deixou inquietação por todo o corpo,
noites sem sono,nela o abandono.
Um imenso frio a dilacerar,
Num coração descompassado.
Em desatino, bate  repetidamente,
Saudade...
Por que teima em machucar?
Pegue! Encha as malas e vá embora.
Me deixe viver agora...

                                    Cida

Nenhum comentário:

Postar um comentário